Sobre ser um bom profissional


Leia em 1 minuto

Vira e mexe alguém escreve um artigo mostrando como configurar o seu editor preferido. Como gosto de ler os comentários, sempre encontro um ou outro “desenvolvedor” dizendo que integração com FTP, com live editing e tudo mais, é essencial. Isso me assusta muito.

Editar arquivos diretamente em produção nunca é uma boa ideia. Várias coisas podem dar errado. Você pode perder conexão com o servidor e corromper o arquivo. Você pode ter que fazer rollback depois de remover grandes trechos de código ou apagar vários arquivos.

Mais do que necessidade, esse tipo de coisa diz respeito apenas ao seu profissionalismo. Afinal de contas, você é ou não profissional?

Um bom profissional irá sempre procurar maneiras diferentes de melhorar o seu trabalho. Se sua empresa não oferece um sistema de versionamento, você pode criar seu próprio repositório local. Assim, você faz suas alterações, manda para o repositório e, só então, publica estas alterações através do FTP.

Um bom profissional sempre é honesto quanto à estimativa de entrega de um projeto, deixando claro que o prazo decidido de cima para baixo é impossível, mas que você fará o possível.

Um bom profissional não deixa de escrever testes, mesmo com toda a pressão do gerente que fica em seu pescoço dizendo que testes são desnecessários.

Um bom profissional irá usar as melhores ferramentas disponíveis para completar uma tarefa, deixando de lados gostos pessoais (Ruby vs Python? NoSQL vs SQL?).

Um bom profissional estará sempre à procura de conhecimento, o tempo todo, todo o tempo. Mas não basta apenas aprender. Um bom profissional também irá compartilhar o conhecimento adquirido.

Eu já tive minha cota de amadorismo. Ainda tenho. Mas um bom profissional sabe reconhecer que tem o que melhorar, mesmo após 13 anos de carreira.